Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vivências Anormais

Aqui está ele, o meu novo blog (visto que o outro deixou de funcionar). Sempre gostei de escrever e muito mais de ler, por isso resolvi criar algo que eu pudesse partilhar com o resto do mundo. Textos, histórias, fantasias..Venham conhecer!

Vivências Anormais

Aqui está ele, o meu novo blog (visto que o outro deixou de funcionar). Sempre gostei de escrever e muito mais de ler, por isso resolvi criar algo que eu pudesse partilhar com o resto do mundo. Textos, histórias, fantasias..Venham conhecer!

Uma questão de segurança...

 

Não te vês como um ser humano belo e especial, certo? Bem, é isso mesmo que publicitários e o mercado querem que penses. Eles querem que penses que és alguém inseguro e, por isso mesmo, eles querem que adquires produtos para tentar “arranjar” algo, que à vista deles, precisa de ser arranjado. A insegurança gera dinheiro para as empresas, uma vez compramos produtos para tentar resolver o problema e quando esse produto não funciona, tentamos outro e outro e daí em diante. O mundo lá foran quer que tenhamos essa sensação de insegurança para depois gastar o dinheiro que temos. Não nascemos inseguros, somos ensinados a ser tal. Fomos alimentado com mentiras de que somos feios, mal amados, não merecedores e, que nunca na vida, seremos bons o suficente. Como tal, acabamos por cair num ciclo vicioso de consemurismo e contiuamos a perseguir um ideal de perfeição, que nem sabemos se existe ou não.

 

Nunca serás flawless mas eu também não, e a nossa originalidade e o facto de sermos únicos são as coisas que tornam-nos insubstituíveis. A ideia de beleza que hoje em dia foi estipulada é intocável e ninguém consegue enquadrar-se nela, por mais que se tenta. No entanto, tu e eu temos o poder de lutar contra esta ideia. Temos o poder de descartar normas, de banalizar o que queremos, de levar a nossa voz à rua e, acima de tudo, de trabalhar e aumentar aquilo que falta: o auto-estima.

 

Nunca te esqueças de que não há nada de errado com o teu corpo, com a tua personalidade ou quem tu és. O que está errado são as mensagens sublimes que recebemos diariamente que tentam convencer-nos do contrário.

 

Ninguém tem o direito de te fazer sentir insignificante nem inseguro e, nunca te esqueças disto: és quem és, neste exato momento, não por seres fruto de uma imagem de perfeição e não por tentares ser algo diferente, mas sim por seguires o que queres e por seres quem realmente estás destinado a ser.

1 comentário

Comentar post