Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Vivências Anormais

Aqui está ele, o meu novo blog (visto que o outro deixou de funcionar). Sempre gostei de escrever e muito mais de ler, por isso resolvi criar algo que eu pudesse partilhar com o resto do mundo. Textos, histórias, fantasias..Venham conhecer!

Vivências Anormais

Aqui está ele, o meu novo blog (visto que o outro deixou de funcionar). Sempre gostei de escrever e muito mais de ler, por isso resolvi criar algo que eu pudesse partilhar com o resto do mundo. Textos, histórias, fantasias..Venham conhecer!

É fácil amar...

 

É fácil amar alguém quando as coisas são perfeitas e quando tudo parece maravilhoso não concordas? Mas, amar algúem quando as coisas estão dificeis, quando elas não estão dentro daquela área da “perfeição”, quando estás constantemente a estragar tudo e demonstrar que tens mais falhas do que aquelas que inicialmente tinhas, a mostrar os erros, aí sim, é permitido ver realmente o quanto amas a outra pessoa.

 

Qualquer pessoa pode amar alguém que diz as coisas perfeitas. Qualquer um pode-se apaixonar facilmente pelas ações que a outra pessoa faz, mas amar alguém quando esta se encontra no seu pior, isso sim, devia ser mais que reconhecido e louvado. Porque é nesse estado que nós, sendo nós próprios, temos a capacidade de agir como seres humanos. É nessa fragilidade que vemos que fazemos parte integrante da vida do outro.

 

Na minha opinião, esse amor é o mais belo de todos. Esse amor é o mais simples, o mais perfeito e a melhor coisa à face do planeta Terra. Um amor assim é mais sentido. Tem um maior significado e, acaba por ser exatamente aquilo que procuramos e necessitamos.

 

Por isso obrigado! Obrigado por me amares das duas formas: quando as coisas estão bem e tudo o resto parece estar a desmoronar à minha volta. Obrigado por aceitares tudo vindo de mim. As minhas falhas, os meus erros, as minhas gargalhadas, o meu olhar apaixonado, os momentos partilhados. Obrigado por tudo.

 

Dito isto, apenas tenho mais uma coisa a apontar. Obrigado por me amares.